Imprimir

Homilia no IV Domingo de Advento B 2008 - “O cavalo que engoliu o sol”

Escrito por Pe. Amaro Gonçalo. Publicado em Homilia da Semana

DA PEÇA DE TEATRO, ADAPTAÇÃO DO LIVRO

“O cavalo que engoliu o sol”

O SONHO DE PAULO

 

MÃE: O sonho que todos os dias lhe vinha à cabeça desde há muito tempo era que Deus era uma criança, como Saulo e seus irmãos, como os seus companheiros. Sonhava que Ele tomava banho com eles, brincava as mesmas brincadeiras, falava as palavras que os meninos falavam e tentava atravessar a ponte em sete passadas!

MENINA: E Deus também foi menino, não foi? Deus também é o Menino Jesus, não é, mãe? Foi Deus que o fez sonhar esse sonho?

MÃE: É possível que Deus desça nos sonhos para dar a conhecer os seus propósitos. Na Escritura Ele fala muita vez aos profetas durante o sono. Quem sabe se não falava assim a Saulo, para depois se tornar Paulo?

Deus não se mostra em plena luz ou no vento impetuoso. Mostra-se na brisa ligeira, na nuvem, na noite, por detrás do véu do Templo… Se Deus estivesse visível em cima da nuvem, ninguém precisaria de acreditar. Bastava verificar que Ele está lá… A fé é um tear que tece véus sobre o rosto de Deus…

SAULO E PAI

SAULO: Já ouvi na sinagoga o rabino falar de uma profecia de Isaías que diz que uma virgem irá conceber e dar à luz um menino, mas o meu menino no sonho não tinha nada aparência de Deus. Era igual à gente!

PAI: Ninguém conhece a aparência de Deus, nunca ninguém lhe viu o rosto. Ver o rosto de Deus seria morrer. Saulo, ouve-me: não deves pensar mais no sonho que sonhaste. Tenta esquecê-lo. Quando Deus nos visitar não o fará num país estrangeiro, numa cidade estrangeira como é Tarso, a nossa. Entrará pela porta que lhe está destinada na cidade santa de Jerusalém. Quando Deus nos visitar, como está prometido, esse dia será um dia de fogo e de julgamento. E se Ele vier como um menino, será um menino poderoso…

SAULO: O Deus que sonhei não era poderoso. Não conseguia atravessar a ponte em sete passadas…

PAI: Já vês, Saulo, foi um sonho tonto.

SAULO: Mas tenho pena que Deus não seja menino como nós e como nós caminhe pelas ruas e caminhos com os pés descalços… E Ele há-de conseguir atravessar a ponte em sete passadas. E eu também…

MÃE: O Deus menino que, de vez em quando, ainda visitava os sonhos de Saulo, já tinha nascido, crescido e morrido, mas Saulo não sabia. Não tinha percorrido as ruas de Tarso com os seus pés descalços. Não tinha tomado banho no rio Cnido nem jogado às escondidas entre as tendas fabricadas pelo pai de Saulo. Não tinha tentado atravessar a ponte em sete passadas. Mas tinha feito coisas muito semelhantes na sua cidade de Nazaré. E depois de crescido tinha percorrido todo o reino de Israel fazendo o bem, curando os enfermos e anunciando um tempo novo.

MENINA: Eu sei o nome mãe! Era Jesus…

 

Comente e partilhe

Share on Myspace