Ano A – Solenidade da Santíssima Trindade

«Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito»

Nicodemos dialoga com Jesus para nos fazer compreender a todos esta certeza basilar: a caridade e o amor de Deus pelo mundo, a criação e todas as criaturas. A missão profética de Jesus, aquela que o evangelista recorda aos seus leitores, a Nicodemos e a cada um de nós é evidenciar a maneira concreta como Deus se manifestou ultimamente e como manifestou o seu amor ao mundo e aos homens. Através de um dom sem igual: o Seu próprio Filho, redentor e salvador de todos.

Evangelho segundo São João (Jo 3, 16-18)

Ano A – Solenidade da Santíssima TrindadeNaquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n’Ele não é condenado, mas quem não acredita n'Ele já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus».

Depois do Domingo do Pentecostes, a Igreja celebra a solenidade da Santíssima Trindade. A vida divina na sua plenitude comunica-se a nós na Eucaristia, dom sublime do amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo e recorda-nos que o Deus dos cristãos não é um Deus solitário, mas um Deus imerso numa infinita circulação de amor, que comunica, dialoga e revela a comunhão trinitária. A linguagem usada é o Amor (Ágape) e Deus, que é amor, segue a sua linha de amor e procura o bem do homem. A comunhão entre Pai e Filho torna-se comunhão entre Deus e a humanidade.

SEGUNDA FEIRA

PALAVRA

«Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos»

Trata-se de um diálogo tu a tu, entre Jesus e Nicodemos. É noite e este fariseu dirige-se a Jesus para compreender quem é Ele de verdade e que mensagem tem para si, para a sua vida. Jesus fala-lhe personalizadamente pois deseja levar a luz às trevas que obscurecem o seu coração. Já anteriormente Ele lhe falara da necessidade de nascer do Alto para ver no Reino de Deus. Agora reforça a ideia, dizendo-lhe que para entrar no Reino de Deus deve deixar-se envolver radicalmente no plano do amor de Deus que passa pelo dom do seu Filho.

MEDITAÇÃO

Jesus não conseguirá tocar o coração daqueles que não se abrem à sua Presença, que não desejam conhecê-lo e, como tal, mantêm-se bem distantes. Nicodemos, passo a passo, entre a noite que vive e o desejo que o impulsiona a conhecer Jesus, deixa-se fascinar por Jesus que lhe revela o grande mistério da Incarnação. Jesus falou com Nicodemos, hoje fala contigo, revela-te algo de Si, do Pai, do seu plano salvífico. Que possa contar com a abertura de mente e de coração.

ORAÇÃO

A invocação do santo Nome de Jesus é o caminho mais simples da oraçãocontínua. Muitas vezes repetida por um coração humildemente atento, não se dispersa num «mar de palavras» mas «guarda a Palavra e produz fruto pela constância». Invoco hoje, repetidamente, o nome de Jesus no silêncio do meu coração, seja nos momentos em que estou a experienciar uma profunda alegria, seja em momentos de noite como Nicodemos.

ACÇÃO

Não devo dar por adquirido que já conheço tudo sobre Jesus; seria pobre demais a minha relação com Ele. Passo hoje por uma igreja, entro, coloco-me diante do Santíssimo, com calma, até que nada mais me inquiete. Deixo que Jesus me fale e que seja luz na minha vida. Falo com alguém sobre este encontro.

TERÇA FEIRA

PALAVRA

«Deus amou … »

Existe um único Deus que sai de si mesmo, cria o mundo e o Homem, coloca-se a caminho com o Seu povo, não fica indiferente perante as injustiças e opressões. A salvação da humanidade depende sobretudo do amor de Deus, não tanto das nossas obras. É tudo uma questão de AMOR! Jesus faz-nos reflectir, abrir os olhos, revelar-nos a justiça de Deus sobre as escolhas que o homem faz. É um Deus que ama e, por este motivo, só pode ser “fecundo”.

MEDITAÇÃO

A salvação é um acto generoso do Amor de Deus, manifestado na entrega total de Jesus Cristo, no dom da sua vida. É Jesus que, ao longo do evangelho, continua a dizer-nos que existe uma coisa preciosa para cada pessoa: o amor aos irmãos. Dado que isto foi sempre difícil de viver, Jesus humanamente mostrou-nos o caminho para realizar esse amor de modo concreto, que no limite significa dar a vida.

ORAÇÃO

Louvai o SENHOR, todas as nações!
Exaltai-o, todos os povos!
Porque o seu amor para connosco não tem limites
e a fidelidade do SENHOR é eterna! Aleluia! (Sl 117)

ACÇÃO

Hoje agradeço a Deus o dom da salvação, peço-lhe que me ajude a dar passos decisivos no caminho de santidade. Invoco o Espírito Santo que dá a vida. Peço ao Senhor que me dê a luz do seu Espírito, para que eu veja melhor o caminho a seguir e a clareza da sua Palavra, para que eu a tome como alimento e força para caminhar.

QUARTA FEIRA

PALAVRA

«Amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho Unigénito»

Encontramos 78 vezes a palavra "mundo" no evangelho de João, embora com diversos significados. Neste texto, "mundo" significa a humanidade, amada por Deus. É por ela que Deus dá o seu Filho Unigénito (cf. Jo 1,9; 4,42; 6,14; 8,12). Poderia contudo significar aquela parte da humanidade que se opõe a Jesus, à sua prática libertadora, criando uma situação de injustiça. A esperança do evangelho de João é que Jesus venceu o mundo.

MEDITAÇÃO

O evangelho apresenta Deus que ama o mundo a tal ponto que para o salvar lhe entrega o seu filho único. O Filho único é toda a vida do Pai: o Deus que dá o Filho é o Deus que se move unicamente no plano do Amor. O dom excessivo do amor de Deus é o próprio Filho, Jesus Cristo.

ORAÇÃO

Não me move, Senhor para Te amar
O Céu que me prometestes
Nem me move o inferno tão temido
Para deixar por isso de Te ofender. 

Tu moves-me, Senhor,
Move-me ver-Te
Pregado numa Cruz e escarnecido
move-me ver o teu Corpo tão ferido, 

Movem-me as tuas afrontas e a tua morte.
Move-me enfim o teu amor,
E de tal maneira,
Que ainda que não houvesse Céu eu Te amaria,
E ainda que não houvesse inferno Te temeria.

Nada tens que me dar para que eu Te queira,
Pois mesmo que eu não esperasse o que espero,
O mesmo que Te quero
Eu te quereria.  (Santa Teresa de Ávila)

ACÇÃO

Deus por mim entregou o seu Filho, por amor… o que dou com amor pela vida dos outros, ou até mesmo pela sua salvação? Não sou chamado a dar coisas mas o melhor que existe em mim: o amor que Deus derramou no meu coração. Este amor traduz-se em gestos concretos que hoje vou por em prática, por exemplo, em relação à minha família.

QUINTA FEIRA

PALAVRA

«…para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele»

A vida é um dom de Deus, um sopro do hálito divino (Gn 2, 7). Deus está sempre disposto a conceder-nos essa vida. A missão do Filho é salvar. É o dom da salvação que nos liberta do pecado e das suas consequências.

MEDITAÇÃO

Deus é grande para connosco! Foi bom demais! Não só nos revelou coisas, mas revelou-se a si mesmo e deu-se a nós: o Pai, pelo Filho, no Espírito deu-nos a própria vida divina! Deus veio a nós, quis fazer história na nossa história, quis viver a nossa vida para nos elevar à vida dele, vida feliz, vida plena, vida eterna! Deu-se gratuitamente para nos salvar, fazendo-nos participar da sua vida!

ORAÇÃO

Pai de bondade, que és fonte de todos bens,
derrama sobre mim o teu Espírito
para poder progredir na santidade.
Ilumina a minha mente
para saber discernir os caminhos do Espírito
que me conduzam ao homem novo,
atento aos sinais dos tempos
liberto da indiferença
e pronto a dar respostas de amor. 

ACÇÃO

Oriento hoje os meus passos pelos passos de Jesus. Em cada pequena ou grande decisão recordo-me dos critérios que Jesus usaria para decidir, dos gestos que seriam os seus, das palavras ou das atitudes que tomaria. No final do dia, agradeço a Jesus ter-me acompanhado ao longo do dia.

SEXTA FEIRA

PALAVRA

«Quem acredita...»

Para poder “viver” a realidade trinitária e, assim, fazer esperiência do amor de Deus, é necessária a fé. É necessário acreditar que Deus é Pai e que na sua misericórdia revela-se ao ser humano através da sua vida e do sacrifício do Filho unigénito por meio da vida do Espírito Santo. As três pessoas agem em sintonia para salvar o mundo, mas a salvação pede um coração dócil, que se deixe plasmar pela acção do Espírito.

MEDITAÇÃO

A fé move-te em ordem à tua salvação e não a uma vida alinhada pelos mínimos. É certo que a Sua proposta é uma medida alta, mas é a medida da santidade. Se achas que seguir Jesus te exige muito, te tira tempo para outras coisas, limita os teus horizontes ou te impede de fazer certas coisas que tantos outros fazem...bem, é fundamental perceberes que a escolha de liberdade está nas tuas mãos... Deus nunca se impõe!

ORAÇÃO

Tomai, Senhor e recebei,
toda a minha liberdade
A minha memória e o meu entendimento,
Toda a minha vontade,
E tudo o que eu possuo.
Vós mo destes,
A Vós o restituo.
Tudo é Vosso, disponde.
Pela Vossa bondade.
Dai-me apenas Senhor.
O Vosso Amor e Graça,
Que isso me basta. (Oração de Santo Inácio)

ACÇÃO

Ao longo deste dia procuro renovar em mim o desejo de seguir Jesus com liberdade e autenticidade. Identifico e assumo alguma(s) prioridade(s) para a minha vida de discípulo de Jesus para este tempo de férias que se avizinha.

SÁBADO

PALAVRA

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo

A origem de tudo é o amor do Pai. A Trindade confirma que Deus em si mesmo não é solidão ou autosuficiência, mas relação e comunhão plena, da qual nos faz participantes. É o Filho enviado do Pai, a viver entre os homens e a ser Caminho da humanidade, que nos revela e possibilita o acesso a esta comunhão.

MEDITAÇÃO

Como é fundamental tomarmos consciência de quem somos. Deus interessa-se por nós, fita-nos com o seu olhar e chama-nos a uma relação com Ele, que é comunhão de amor. Aceitar essa relação é a base da vocação de qualquer cristão. E se o centro é Cristo, a nossa comunhão no Seu amor aproxima-nos cada vez mais uns dos outros. Onde existe união e verdade, harmonia e concórdia, aí habita Deus. Eis os critérios de discernimento que o Senhor te dá e nos dá para viver como verdadeiros filhos do Pai, em dócil acolhimento dos dons do Espírito Santo.

ORAÇÃO

O sinal da cruz ou a recitação do Glória tornam-se expressões quotidianas de um estilo de vida que nos torna mais próximos de Deus e nos guia por esta luz que é a comunhão do amor divino. Ao longo do dia repetirei várias vezes: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

ACÇÃO

Vou tomar como empenho deste dia partilhar com alguém o que fui meditando esta semana sobre a Santíssima Trindade como modelo de vida em comunidade e de comunhão com os irmãos. Em alternativa, identificarei alguém (uma criança, um colega da escola ou do trabalho) a quem falarei sobre o amor que Deus Pai, que nos enviou o seu Filho único e nos concede o dom do seu espírito Santo. 

Ir. Alzira Sousa,fma

Clique aqui para obter o documento em formato PDF.

Este trabalho é da autoria dos Salesianos - Orar a Palavra. Se quiseres entrar em contacto com os salesianos e partilhar as tuas reflexões e sugestões podes fazê-lo para o seguinte email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Quem quiser receber estes materiais no e-mail basta entrar em contacto com os Salesianos - Orar a Palavra através do email.

ImprimirEmail