Domingo XXVII do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XXVII Domingo Comum C 2016

«Com Maria, renovai-vos nas fontes da alegria»! Este é o lema que nos guia neste ano pastoral. Que alegria é esta? E onde estão as suas fontes? É a alegria, que brota do nosso encontro com Cristo (EG 1), e que está precisamente no início da nossa fé. Disse-o Bento XVI: “No início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa, que dá à Vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo” (DCE, n.º 1). É preciso, é urgente, é prioritário, ao longo deste novo ano pastoral, proporcionar, facilitar, oferecer a todos, a experiência deste encontro com Cristo, que gera, aumenta, alimenta e renova a nossa fé e que frutificará sempre em verdadeira alegria!

1.Aumentar a nossa fé” implica, antes de mais, unir-se e reunir-se, aprender a viver em família, em grupo, em comunidade. A nossa fé não cresce sozinha, isolada, ou em laboratório, mas cresce com a fé dos outros, ganha força na sua união à multidão dos irmãos e irmãs, que percorrem juntos o mesmo caminho e entram na mesma corrente de graça. Este encontro de irmãos, que partilham e celebram a mesma fé, é fonte de alegria: “Oh como é belo e agradável ver os irmãos reunidos em harmonia” (Sal 133,1). Sem a comunidade, a fé morre sozinha! Redescubramos o prazer de ser e de fazer parte deste Povo, porque isso é “fonte de uma alegria superior” (EG 268). E peçamos ao Senhor, a graça de uma comunidade renovada nas fontes da comunhão!

2.Aumentar a nossa fé” implica enraizá-la na experiência deste encontro, que resulta da escuta da Palavra, que brota sempre da “frescura original do Evangelho” (EG, 11), na certeza de que a Palavra é sempre fonte de alegria (EG 5). Sem a escuta obediente da Palavra, a planta da nossa fé, morre de sede! E a nossa vida cristã não se renova! Acorrei às fontes da catequese, das aulas de educação moral e religiosa, da prática da lectio divina. Peçamos ao Senhor, a graça de uma comunidade, renovada na frescura da Palavra de Deus!

3.Aumentar a nossa fé” implica alimentá-la na experiência deste encontro, que é a Eucaristia. Ela é a fonte e o ápice de toda a vida da Igreja e dos cristãos. É «fonte de um renovado impulso para se dar” (EG 24). Sem Eucaristia, e sem a seiva dos sacramentos, a planta da nossa fé, perde vigor e morre de fome. Quando se deixa de acorrer a esta fonte da Eucaristia, a nossa vida cristã entra rapidamente em estado de coma espiritual. Acorrei às sete fontes dos sacramentos. Peçamos ao Senhor, a graça de uma comunidade renovada na fonte inesgotável da liturgia.

4.Aumentar a nossa fé” implica invocá-la, pedi-la, rezá-la, na experiência deste encontro pessoal com Cristo, que é a oração. Sem o ardor e o calor da oração, a planta da nossa fé, morre de frio, de falta de afeto! E a nossa vida cristã cai no lamento, na tristeza e no vazio. Acorrei às fontes da oração, do rosário, da adoração ao santíssimo. Peçamos ao Senhor, a graça de uma comunidade renovada pela alegria do encontro com Cristo, na fonte da oração.

5.Aumentar a nossa fé” implica levá-la e apegá-la aos outros, pois “uma fé que não se apega, apaga-se” (P.e António Vieira). Sem o contágio do nosso testemunho, humilde mas audaz, corajoso e sempre alegre, a planta da nossa fé morre asfixiada, sem luz nem respiração, no cheiro a mofo da estufa, onde, por vergonha, escondemos este tesouro. Conduzi os outros a Cristo, para que não morram de sede, de fome ou de frio, ou de solidão junto das nossas fontes. Quando se dá, é que a fé se fortalece. “Esta tarefa deve ser a fonte de maiores alegrias”. Peçamos ao Senhor a graça de uma comunidade renovada, na alegria transbordante da missão!

Com Maria, feliz porque acreditou, renovai-vos nas fontes da alegria!

document Missa com Catequese XXVII Domingo Comum C 2016 (285 KB)

document Página dos Leitores XXVII Domingo Comum C 2016 (69 KB)

document Liturgia e Homilia no XXVII Domingo Comum C 2016 (371 KB)

ImprimirEmail