• Entrada
Domingo XXVIII do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XXVIII Domingo Comum C 2016

Confiança, fidelidade e gratidão são os movimentos do coração que nos aproximam de Deus e nos conduzem à salvação! “Mesmo se às vezes não Lhe somos fiéis, Ele é sempre fiel” e, com a Sua misericórdia, o Senhor não se cansa de nos estender a mão, para nos erguer e encorajar a retomar o caminho, a voltar para Ele e confessar-Lhe a nossa fraqueza, a fim de que nos dê a sua força.

Continue a leitura

Domingo XXVI do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XXVI Domingo Comum C 2016

Um pobre chamado Lázaro e um rico que nem nome tem. Ambos chegaram ao fim da vida degradados: um pela miséria, outro pela riqueza. Mas nem Lázaro se salvou por não ter nada, nem o rico se condenou por ter muito. O problema é quando o que sobra em riquezas falta em compaixão.

Continue a leitura

Domingo XXVII do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XXVII Domingo Comum C 2016

“Com Maria, renovai-vos nas fontes da alegria”. É este o lema que nos guia, neste novo ano pastoral. Somos chamados a procurar as fontes da alegria, para podermos aumentar, alimentar e fazer crescer a nossa fé, que é sempre pequenina, como uma semente, e é dada aos que são pequeninos ou se sentem pequeninos diante do Senhor.

Continue a leitura

Domingo XXV do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XXV Domingo Comum C 2016

Neste início do ano pastoral, a Liturgia da Palavra vem recordar-vos a palavra-chave, na relação com Deus, nosso sumo e único Bem, e na justa relação com os bens deste mundo: a fidelidade. “A fidelidade no tempo é o nome do amor; de um amor coerente, verdadeiro e profundo a Cristo”!

Continue a leitura

Mais artigos...

Leituras do dia

  • Segunda-feira, dia 11 de Dezembro de 2017 : Livro de Isaías 35,1-10.
    Alegrem-se o deserto e o descampado, rejubile e floresça a terra árida, cubra-se de flores como o narciso, exulte com brados de alegria. Ser-lhe-á dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e do Sáron. Verão a glória do Senhor, o esplendor do nosso Deus. Fortalecei as mãos fatigadas e robustecei os joelhos vacilantes. Dizei aos corações perturbados: «Tende coragem, não temais: Aí está o vosso Deus, vem para fazer justiça e dar a recompensa. Ele próprio vem salvar-vos». Então se abrirão os olhos dos cegos, e se desimpedirão os ouvidos dos surdos. Então o coxo saltará como um veado e a língua do mudo cantará de alegria. As águas brotarão no deserto e as torrentes na aridez da planície; Então o coxo saltará como um veado, e a língua do mudo cantará de alegria. a terra seca transformar-se-á em lago e a terra sequiosa em nascentes de água.No covil dos chacais crescerão canas e juncos. a terra seca transformar-se-á em lago e a terra árida em nascentes de água. Aí haverá uma estrada, que se chamará «caminho sagrado»; nenhum homem impuro passará por ele e nele os insensatos não se perderão. Nesse caminho não haverá leões, nem andarão por ali animais ferozes Voltarão os que o Senhor libertar, hão-de chegar a Sião com brados de alegria, com eterna felicidade a iluminar-lhes o rosto. Reinarão o prazer e o contentamento, e acabarão a dor e os gemidos.
  • Segunda-feira, dia 11 de Dezembro de 2017 : Livro de Salmos 85(84),9ab-10.11-12.13-14.
    Escutemos o que diz o Senhor: Deus fala de paz ao seu povo e aos seus fiéis e a quantos de coração a Ele se convertem. e a quantos de coração a Ele se convertem. A sua salvação está perto dos que O temem, e a sua glória habitará na nossa terra. Encontraram-se a misericórdia e a fidelidade, abraçaram-se a paz e a justiça. A fidelidade vai germinar da terra, e a justiça descerá do Céu. O Senhor dará ainda o que é bom, e a nossa terra produzirá os seus frutos. A justiça caminhará à sua frente, e a paz seguirá os seus passos.
  • Segunda-feira, dia 11 de Dezembro de 2017 :
  • Segunda-feira, dia 11 de Dezembro de 2017 : Evangelho segundo S. Lucas 5,17-26.
    Certo dia, enquanto Jesus ensinava, estavam entre a assistência fariseus e doutores da Lei, que tinham vindo de todas as povoações da Galileia, da Judeia e de Jerusalém; e Ele tinha o poder do Senhor para operar curas. Apareceram então uns homens, trazendo num catre um paralítico; tentavam levá-lo para dentro e colocá-lo diante de Jesus. Como não encontraram modo de o introduzir, por causa da multidão, subiram ao terraço e, através das telhas, desceram-no com o catre, deixando-o no meio da assistência, diante de Jesus. Ao ver a fé daquela gente, Jesus disse: «Homem, os teus pecados estão perdoados». Os escribas e fariseus começaram a pensar: «Quem é este que profere blasfémias? Não é só Deus que pode perdoar os pecados?» Mas Jesus, que lia nos seus pensamentos, tomou a palavra e disse-lhes: «Que estais a pensar nos vossos corações? Que é mais fácil dizer: ‘Os teus pecados estão perdoados’ ou ‘Levanta-te e anda’? Pois bem, para saberdes que o Filho do homem tem na terra o poder de perdoar os pecados, Eu te ordeno — disse Ele ao paralítico — levanta-te, toma a tua enxerga e vai para casa». Logo ele se levantou à vista de todos, tomou a enxerga em que estivera deitado e foi para casa, dando glória a Deus. Ficaram todos muito admirados e davam glória a Deus; e, cheios de temor, diziam: «Hoje vimos maravilhas».