• Entrada
Domingo XVII do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XVII Domingo Comum C 2016

Abraão, nosso pai na fé, é grande de mais para uma homilia. E, por isso, neste Ano da Misericórdia, proponho apenas vislumbrar, nesta oração de intercessão de Abraão, a manifestação do rosto da misericórdia divina.

Continue a leitura

Domingo XV do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XV Domingo Comum C 2016

O “bom samaritano” não é jogador da seleção, mas é «património da humanidade». Toda a gente conhece a parábola e a figura, pelo seu nome. Quando se trata de alguém que faz o bem, sem olhar a quem, aí está – dizemos nós – um «bom samaritano».

Continue a leitura

Domingo XVI do Tempo Comum | Ano C

Homilia no XVI Domingo Comum C 2016

Com as férias à porta, cai-nos muito bem este episódio do encontro de Jesus, com Marta e Maria, irmãs de Lázaro. A censura de Jesus a Marta, pela sua agitação interior e pelo seu frenesim descontrolado, parece um claro sinal de «stop», quando já não conseguimos parar, para escutar, conversar, rezar e descansar. Na verdade, quem não descansa, não avança.

Continue a leitura

Domingo XIV do Tempo Comum | Ano C

Homilia do XIV Domingo Comum C 2016

A alegria do Evangelho é a nossa missão. Felizes os misericordiosos!

Este lema do ano pastoral, que estamos agora a concluir, colhe particular inspiração e aplicação, na Palavra de Deus, que nos é dada a saborear, nesta Eucaristia, [e que constitui a fonte e a meta da nossa peregrinação jubilar]. E podemos resumi-lo em três palavras inseparáveis: alegria, missão e misericórdia.

Continue a leitura

Mais artigos...

Leituras do dia

  • Sexta-feira, dia 29 de Julho de 2016 : 1ª Carta de S. João 4,7-16.
    Caríssimos: Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus; e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Assim se manifestou o amor de Deus para connosco: Deus enviou ao mundo o seu Filho Unigénito, para que vivamos por Ele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amámos a Deus, mas foi Ele que nos amou, e enviou o seu Filho como vítima de expiação pelos nossos pecados. Caríssimos, se Deus nos amou assim, também nós devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós e em nós o seu amor é perfeito. Nisto conhecemos que estamos n’Ele e Ele em nós: porque nos deu o seu Espírito. E nós vimos e damos testemunho de que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Se alguém confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus. Nós conhecemos o amor que Deus nos tem e acreditámos no seu amor. Deus é amor: quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus permanece nele.
  • Sexta-feira, dia 29 de Julho de 2016 : Livro de Salmos 34(33),2-3.4-5.6-7.8-9.10-11.
    A toda a hora bendirei o Senhor, o seu louvor estará sempre na minha boca. A minha alma gloria-se no Senhor, escutem e alegrem-se os humildes. Enaltecei comigo o Senhor e exaltemos juntos o seu nome. Procurei o Senhor e Ele atendeu-me, libertou-me de toda a ansiedade. Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes, o vosso rosto não se cobrirá de vergonha. Este pobre clamou e o Senhor o ouviu, salvou-o de todas as angústias. O Anjo do Senhor protege os que O temem e defende-os dos perigos. Saboreai e vede como o Senhor é bom: feliz o homem que n’Ele se refugia. Temei o Senhor, vós os seus fiéis, porque nada falta aos que O temem. Os poderosos empobrecem e passam fome, aos que procuram o Senhor não faltará riqueza alguma.
  • Sexta-feira, dia 29 de Julho de 2016 : Livro de Números 6,22-27.
    O Senhor disse a Moisés: Fala a Aarão e aos seus filhos e diz-lhes: Assim abençoareis os filhos de Israel, dizendo: 'O Senhor te abençoe e te proteja. O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face e te seja favorável. O Senhor volte para ti os seus olhos e te conceda a paz'. Assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel, e Eu os abençoarei.
  • Sexta-feira, dia 29 de Julho de 2016 : Evangelho segundo S. João 11,19-27.
    Naquele tempo, muitos judeus tinham ido visitar Marta e Maria, para lhes apresentar condolências pela morte do irmão. Quando ouviu dizer que Jesus estava a chegar, Marta saiu ao seu encontro, enquanto Maria ficou sentada em casa. Marta disse a Jesus: «Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. Mas sei que, mesmo agora, tudo o que pedires a Deus, Deus To concederá». Disse-lhe Jesus: «Teu irmão ressuscitará». Marta respondeu: «Eu sei que há-de ressuscitar na ressurreição do último dia». Disse-lhe Jesus: «Eu sou a ressurreição e a vida. Quem acredita em Mim, ainda que tenha morrido, viverá; e todo aquele que vive e acredita em Mim, não morrerá para sempre. Acreditas nisto?». Disse-Lhe Marta: «Acredito, Senhor, que Tu és o Messias, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo».